Matchless Model X Reloaded

Depois de apresentar uma imagem conceitual de sua Model X Reloaded, a Matchless revelou a primeira imagem da moto finalizada. Mesmo com efeitos é possível ver que o resultado ficou muito parecido com a arte. Releitura da primeira Model X, lançada há cerca de 80 anos, a moto tem estilo retrô caracterizado pelos escapes com barbatanas do lado direito.

O motor é um V2 de 1916 cm³ produzido pela S&S e seus dados de potência ainda não foram revelados. Desde 1966 sem produzir motocicletas, a Matchless voltou à ativa como grife de vestuário em 2012 e irá mostrar seu retorno oficial à fabricação de motocicletas durante o Salão de Milão, na Itália.

[Por:Moto.Com.br]

BMW

A alemã BMW é uma das poucas fabricantes que trabalham com veículos na linha de duas e quatro rodas e, para aproveitar as badalações do Salão Internacional do Automóvel, que acontece, em São Paulo (SP), até o dia 9 de novembro, a montadora levou sua linha de motos no país para dividir espaço entre os carros.

No estante da fabricante alemã, o público pode conferir de perto os modelos tradicionais e as novidades, como a custom R nineT, a aventureira F 800 GS e a naked S 1000 R. O passeio pelo espaço da BMW também vale para conhecer os novos carrões da marca e desfrutar da simpatia das promotoras e modelos presentes no local.

SERVIÇO
28º Salão Internacional do Automóvel 2014
Data: 30/10 até 09/11
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo/SP
Endereço: Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana
Ingressos: salaodoautomovel.com.br

[Por:Moto.Com.br]

WSBK

Acontece nesse domingo (2/11) a grande final do Mundial Superbike, na pista de Losail, no Catar, com as provas válidas pela décima segunda etapa e única corrida noturna na temporada 2014 da competição que reúne as principais marcas com motos de mercado.

Além da inédita corrida noturna, motivada pelas altas temperaturas no deserto durante o dia, as provas do Mundial Superbike terão um elemento dramático a mais, pela grande disputa entre dois pilotos pelo título da competição em 2014.

Na disputa pelo troféu de campeão estão o atual campeão do Mundial Superbike, o piloto da moto nº 1, o britânico Tom Sykes, da equipe Kawasaki Racing Team, e piloto francês Sylvain Guintoli, da equipe Aprilia Racing Team.

A diferença entre os dois competidores é de apenas 12 pontos, e na disputa de Losail, com a realização das duas baterias, estão em jogo 50 pontos (25 por corrida), tornando a última etapa da temporada 214 ainda mais emocionante.

TRANSMISSÃO
O canal de TV por assinatura ESPN+ (canal em HD) anuncia na sua programação a transmissão ao vivo do GP de Losail nesse domingo a partir das 13h55.

CLASSIFICAÇÃO
1. T. SYKES KAWASAKI 378 pontos
2. S. GUINTOLI APRILIA 366
3. M. MELANDRI APRILIA 312
4. J. REA HONDA 301
5. L. BAZ KAWASAKI 282
6. C. DAVIES DUCATI 195
7. L. HASLAM HONDA 176
8. D. GIUGLIANO DUCATI 162
9. E. LAVERTY SUZUKI 154
10. T. ELIAS APRILIA 151

[Por:Moto.Com.br]

Ducati

A Ducati apresentou as modificações que realizou em eu consagrado motor Testastretta DVT (Desmodromic Variable Timing) de 1.198 cc. A principal mudança foi o comando de válvulas variado, algo não muito comum no mundo das duas rodas. Este sistema DVT altera o tempo de abertura das válvulas, tanto de admissão quanto de emissão, para obter melhor desempenho em todas as rotações, o que melhorou suas respostas em baixos giros e também em alta.

Segundo a fábrica de Bologna, este novo propulsor está com funcionamento mais liso e com melhor entrega de potência em todas as faixas de rotações, além de ser mais econômico. Com todas as alterações ele ganhou 10 cv de potência a mais, saltando para 160 cv a 9.500 rpm, e seu torque ganhou mais de 1 kgmf, agora com 13, 8 kgfm a 7.500 rpm. Todas as emissões foram reduzidas e atende as normas do Euro 4.

Sua estreia deverá acontecer no Salão de Milão, equipando a versão 2015 da Multistrada 1200.

[Por:Moto.Com.br]

PCX DLX

A Honda do Brasil apresenta a nova versão DLX para a linha 2015 do scooter PCX, trazendo como diferenciais a tonalidade preto fosco das carenagens e o dourado exclusivo das rodas. A novidade complementa as opções branca e preta perolizadas.

A PCX DLX permanece com os atributos mecânicos e ciclísticos que colocaram o scooter da marca japonesa na liderança do segmento, como o exclusivo sistema “Idling Stop System”, que interrompe o funcionamento do motor em paradas, como em um semáforo, e proporciona economia de combustível e redução de emissão de poluentes.

A linha PCX vem equipada com motor monocilíndrico de 152,9 cm³, OHC, arrefecido a líquido, com potência de 13,6 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 1,41 kgfm a 5.250 rpm. O sistema de alimentação é por injeção eletrônica de combustível PGM-FI (Programmed Fuel Injection).

Os freios contam com o sistema CBS (Combined Brake System), capaz de distribuir parte da força aplicada ao freio traseiro para o dianteiro, proporcionando mais segurança e eficiência em situações de emergência.

Disponível em toda a rede de concessionárias Honda a partir de novembro, a PCX DLX 2015 tem preço público sugerido de R$ 8.990, com base no Estado de São Paulo, sem despesas com frete e seguro. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.

[Por:Moto.Com.br]

Harley-Davidson Street Glide CVO

Novidade mundial na linha 2015, a versão CVO da Harley-Davidson Street Glide foi confirmada para o Brasil. Formada por modelos exclusivos e customizados pela fábrica, a linha CVO (Custom Vehicle Operations), traz pintura diferenciada, diversos acessórios já instalados na moto, um motor de maior capacidade cúbica e, no caso da Street Glide o mais potente sistema de som a equipar uma motocicleta da marca. Outra boa novidade é que a linha CVO à venda no Brasil, formada também pela Ultra Limited, será agora montada em Manaus. Com isso, a nova Street Glide CVO vai custar R$ 111.000 e deverá chegar às concessionárias da marca com uma pintura preta metálica com labaredas douradas (chamada de Starfire Black with Gold Dust Flames) no início do próximo ano – o modelo base da Street Glide custa a partir de R$ 75.900.

Mas o preço muito superior da versão CVO vai além da pintura artesanal exclusiva e dos diversos acessórios, como comandos de punho iluminados e pedaleiras diferenciadas. A Street Glide CVO traz o motor de dois cilindros em “V” com auxílio da refrigeração líquida e preparado pela divisão Screamin’ Eagle da Harley. Com isso sua capacidade cúbica foi aumentada de 103 polegadas (1690 cm³) para 110 (1801 cm³), gerando assim mais torque – 15,9 kgf.m já a 3.750 rpm – e certamente mais potência, porém a Harley não divulga esses números. Além do motor “preparado”, a CVO conta ainda com assistente hidráulico de embreagem.

Como tive a oportunidade de pilotar o modelo nas estradas de Sonoma Valley, na Califórnia, durante o lançamento mundial da linha 2015, a diferença de desempenho para o modelo base é notável e a facilidade de acionamento da embreagem é um item sempre bem vindo em motos Harley-Davidson.

On the road
Mais “jovem” que a enorme Ultra Limited, a Street Glide tem sido sucesso de vendas nos Estados Unidos, já que o modelo incorporou uma tendência popular por lá: as baggers, ou seja, motos estradeiras que contam com malas laterais rígidas, carenagem frontal e roda dianteira de diâmetro maior. Com sua pintura chamativa – pilotei um modelo na cor amarela com labaredas em preto – a versão CVO reforça ainda mais essa inspiração nas motos customizadas. As rodas de liga-leve com cinco pontas têm desenho agressivo e um cromado bastante reflexivo, semelhante ao que os harleiros gostam de colocar em suas baggers personalizadas.

A roda dianteira de 19 polegadas foi escolhida por uma questão meramente estética. “Não há um motivo técnico. Poderíamos ter usado uma roda de 18 polegadas como na Ultra Limited, mas os clientes que gostam de baggers colocam essas rodas maiores”, explicou-me o líder técnico de desenvolvimento da Harley-Davidson, Glen Kovac. Outro motivo do sucesso da Street Glide é seu banco baixo: somente a 69,0 cm do solo.

Devidamente ajustado na moto, partimos da cidade de Sonoma, famosa por seus vinhos, em direção ao litoral para a famosa Highway 1. Mas antes de chegar até lá, uma bela e sinuosa estradas de mão dupla iria nos divertir. O câmbio de seis marchas (com a sexta overdrive) emite ruídos nos engates, mas o acionamento da embreagem é macio, graças ao auxílio hidráulico. Entretanto, o desempenho do motor que conta com refrigeração líquida e mais torque nem pedia muitas trocas de marchas. Nos trechos mais íngremes e cheios de curva, a quarta era suficiente. No plano, a sexta marcha fazia o giro cair, mas oferecia bastante força para empurrar os mais de 380 kg a seco da CVO Street Glide.

Os freios ABS Reflex, com sistema combinado, também davam conta do recado para diminuir a velocidade em curvas mais acentuadas e evitar que ralasse as pedaleiras no asfalto. Mesmo de olho para manter a velocidade de 50 milhas por hora (cerca de 80 km/h) e não ter problemas com a polícia, as pedaleiras deixaram suas marcas no asfalto californiano.

Som na caixa 
Outro atrativo da CVO Street Glide é seu sistema de áudio Boom! Box que gera 300 watts de potência, por meio de quatro alto-falantes dianteiros e dois traseiros, instalados nas malas laterais rígidas. Segundo a marca, trata-se do sistema de som mais potente entre as motos e proporciona excelente qualidade sonora. Conectado por Bluetooth e com Jimi Hendrix na playlist, seguia em direção a Bodega Bay, já na Highway 1, com o som de Purple Haze encobrindo o ronco do V2. Mas o sistema de entretenimento ainda conta com tela de cristal líquido de 6,5 polegadas com GPS e sistema de navegação.

Até mesmo parada e com som na caixa, a CVO Street Glide chama atenção. Não só pela pintura chamativa do modelo que avaliei, mas também por detalhes como o para-lama traseiro com lanternas em LED embutidas, a ponteira esportiva do escapamento e o farol chamado de Daymaker, também com LED. Se a ideia da CVO era ser uma moto exclusiva com cara de customizada, a Harley acertou nessa versão da Street Glide.

Outras novidades 2015
Além da CVO Street Glide, a Harley terá outras quatro novas motos na sua linha 2015 no Brasil. A família Dyna ganhou o reforço de dois novos modelos: a nova Street Bob e a Low Rider; já a linha Softail traz agora também a Breakout em sua versão convencional. Na família Touring a novidade ficou por conta da Street Glide Special.

Modelo de entrada da linha Dyna, a Street Bob utiliza o motor Twim Cam 96 de 1595 cm³ de capacidade, e tem estilo bobber. Reforçado pelo guidão ape hanger e os pneus largos com rodas raiadas. O preço é de R$ 44.400. Já a Low Rider é uma releitura de um modelo lançado em 1977. Também equipada com o motor de dois cilindros em “V” e 1595 cm³, a Low Rider tem assento baixo e diversos cromados. Traz banco e guidão ajustáveis e tem preço sugerido a partir de R$ 46.600.

A Softail Breakout vem na carona do sucesso do modelo CVO, importado para o Brasil em 2014. Mais acessível, a versão convencional chega por R$ 58.700 e traz consigo o estilo longo e baixo, com paralamas cortados, e um largo “pneuzão” de 240 mm na traseira. O line-up 2015 se completa com a Street Glide Special, que difere do modelo antes vendido aqui somente pelo sistema de entretenimento com tela de 6,5 polegadas touch screen com GPS e navegador. O preço parte de R$ 75.900.

FICHA TÉCNICA
Motor Screamin’ Eagle Twim Cooled 110, com dois cilindros em “V” e refrigeração mista (ar e líquida)
Capacidade 1.801 cm³
Câmbio Seis velocidades
Potência máxima ND
Torque máximo 15,9 kgf.m já a 3.750 rpm
Suspensão dianteira Garfo telescópico de 49 mm de diâmetro com 117 mm de curso
Suspensão traseira Amortecimento bichoque com 54,6 mm de curso
Freio dianteiro Disco duplo flutuante de 300 mm com pinça fixa de quatro pistões e ABS
Freio traseiro Disco simples de 300 mm com pinça fixa de quatro pistões e ABS
Pneu dianteiro 130/60 – 19
Pneu traseiro 180/55 – 18
Comprimento total 2.455 mm
Largura total 970 mm
Entre-eixos 1.625 mm
Altura do assento (descarregada) 690 mm
Altura mínima do solo 125 mm
Peso (em ordem de marcha) 395 kg
Peso (a seco) 380 kg
Tanque de combustível 22,7 l
Cor Starfire Black with Gold Dust Flames
Preço R$ 111.000

[Por:Moto.Com.br]

Yamaha

Os rumores de que a Yamaha lançará uma tourer com suspensão de longo curso feita com base na MT-09 não são de hoje. No entanto, uma foto vazada por acidente no site de imprensa norte-americano da marca confirmou o esperado. A imagem foi removida, mas ficou tempo suficiente no ar para a imprensa internacional confirmar que ela se chamará FJ-09 nos Estados Unidos e traz conjunto óptico semelhante ao da semi-carenada FZ1, mas com para-brisa mais alto e protetores de mão. Já a base não difere da MT-09 e inclui o mesmo propulsor tricilíndrico de 847 cm³. Na Europa, acredita-se que a nova moto chegará com as mesmas especificações, mas será batizada de MT-09X ou algo próximo, para seguir a nomenclatura da família. O debute, inclusive, deverá acontecer na próxima semana, durante o Salão de Milão, na Itália.

[Por:Uol Motos]

« Previous Entries  Next Page »