Kawasaki revela nova Vulcan S

Vulcan S

A Kawasaki  anunciou um novo modelo para os mercados europeu e norte-americano. Batizada como Vulcan S, a custom conta com o mesmo motor de dois cilindros paralelos de 649 cm³ que equipa os modelos ER-6n, Ninja 650 e Versys 650. Com design moderno, a nova moto também carrega alguns elementos visuais da família, como a mola horizontal aparente do monoamortecedor traseiro e o escape localizado mais abaixo do quadro, para centralizar a massa.

Vulcan S

O novo modelo médio da Casa de Akashi tem potência máxima de 61 cv a 7.500 rpm, enquanto o torque máximo é de 6,4 kgf.m disponível já nos 6.600 giros. O peso em ordem de marcha é de 225 kg com a adição de 3 kg para a versão com freios ABS. Como diferencial, a Vulcan S tem pedaleiras com três níveis de ajuste para se adaptar a pilotos de diferentes estaturas. A moto deve fazer seu debute oficial no Salão de Milão, na Itália, que acontece em novembro e as vendas estão previstas para começar no início de 2015. O preço sugerido da Vulcan S nos Estados Unidos é de 6.999 dólares para o modelo standard  e 7.399 para a moto com freios ABS, o que corresponde a cerca de R$ 17 e R$ 18 mil, respectivamente.

[Por:Uol Motos]

Kawasaki Z1000

Na noite deste dia 7 de outubro foi anunciada a vencedora do título de Moto do Ano, premiação organizada por Duas Rodas com patrocínio Mobil. Quarenta e três lançamentos do último período concorreram ao título concedido à Kawasaki Z1000. O novo modelo da marca foi eleito por jornalistas especializados de diferentes veículos e regiões do país após um jejum de 13 anos sem que a fabricante japonesa conquistasse o prêmio principal, desde a eleição da Ninja ZX-12 como melhor lançamento de 2001.

Os jornalistas testaram todas as concorrentes em pista fechada a convite de Duas Rodas, enquanto no mês de setembro o público pôde participar votando via site. Além do modelo que recebeu a melhor avaliação entre os 43 avaliados, foram conhecidos os melhores lançamentos de 12 categorias. A maior votação via site foi obtida pela Triumph Daytona 675, escolhida por 80% do público na categoria Sport e eleita também pelos jornalistas.

Confira a lista de escolhidas por categoria:

Street – Honda CG 150 Titan CBS
Trail – Honda XRE 300 Flex ABS
Scooter – Yamaha TMax 530

Custom – Harley-Davidson Forty-Eight

Big Custom – Yamaha VMax

Touring – Harley-Davidson Street Glide
Big trail – BMW F 800 GS Adventure
Adventure – BMW R 1200 GS Adventure
Naked – Triumph Street Triple 675R
Streetfighter – Kawasaki Z1000
Sport-touring – Ducati Hyperstrada 821
Sport – Triumph Daytona 675

[Por:Moto.Com.br]

Ninja H2R

Durante a abertura do Salão de Colônia, (Intermot), na Alemanhã, nesta terça-feira (30), a Kawasaki revelou a inédita Ninja H2R, protótipo da marca que será usado como base para futura Ninja H2, moto de rua que vai ser apresentada no fim no ano no Salão de Milão, na Itália.

A ninja H2R possui motor de 998 cm³ de quatro cilindros com tecnologia supercharger – compressor de ar – que rendem ao modelo potência máxima de 300 cavalos. Este número supera todas as motos esportivas que existem no mercado, com médias de aproximadamente 200 cv de potência.

A fabricante ainda não revelou a velocidade final que o novo conceito alcança, porém afirmou que a estrutura do chassi foi desenvolvida para suportar altas velocidades com muita estabilidade, principalmente por conta do entre-eixos compacto de formato treliça de aço de alta tensão.

Outro fato que chama a atenção no modelo é o seu design, muito inovador e atraente aos olhares. Em suas carenagens de fibra de carbono a Kawasaki optou em utilizar pequenas “asas” para melhorar a aerodinâmica da moto. Todos estes detalhes foram inspirados no modelo Mach IV 750, que fez história com seu motor dois tempos de 748 cc.

[Por:Moto.Com.br]

Kawasaki

A Ninja H2 pode não ser a única novidade da Kawasaki no Intermot, salão que acontece em outubro na cidade alemã de Colônia. Alguns sites especializados na Europa flagraram uma bigtrail em testes que acreditam ser a próxima geração da Versys 1000. O modelo que aparece na foto tem as suspensões de curso mais longo características das crossovers da Kawasaki, mas um conjunto óptico independente e poligonal, diferente dos dois faróis arredondados um em cima do outro, que ela usa atualmente. A carenagem também mudou e parece um pouco mais robusta. Read the rest of this entry »

Ninja H2 Special

A Kawasaki continua provocando os fãs de motos esportivas com imagens e vídeos da nova Ninja H2 Special supercharged, que será revelada na Alemanha no fim deste mês, durante o Salão de Colônia.

A fabricante japonesa afirma que esse lançamento vai gerar uma mudança no jogo no mercado das duas rodas. O motor, que pode ser visto na foto abaixo, é um quatro cilindros em linha com compressor mecânico (supercharged). Os números de desempenho e especificações técnicas, porém, ainda não foram revelados pela Kawasaki.

Pelos curtos vídeos divulgados pela marca da nova Ninja, já é possível ter uma ideia do que esperar sobre o visual da nova H2.

[Por:Carplace]

 

 

Kawasaki Ninja

 

A Kawasaki Ninja comemora 30 anos de vida em 2014. A idade pode parecer surpresa para muitos, uma vez que as superesportivas da Casa de Akashi continuam joviais em essência e recebam atualizações estéticas periódicas para que isso se reflita em seu visual. Para comemorar a data, as superesportivas ZX-10R e ZX-6R 636 chegam ao Brasil em edição especial, pintadas com o tradicional tom de verde limão, mas misturado com nuances de branco. Já a sport-touring ZX-14R vai celebrar o aniversário de três décadas com uma roupagem verde e preta.

As motos com a nova roupagem desembarcam nas concessionárias em versões standard e com freios ABS. Os preços sugeridos para o modelo de 1000cc são de R$ 63.990 e R$ 67.990, respectivamente. O modelo médio, por sua vez, parte de R$ 51.990 e sai por R$ 54.990 com o sistema anti-travamento. Já a ZX-14R em roupagem comemorativa estará disponível por R$ 56.990 e R$ 60.990 (ABS).

No mais, a ZX-10R mantém as configurações mecânicas já usadas no modelo anterior. O que não a faz menos digna de respeito. Afinal, estamos falando de um motor de quatro cilindros em linha de 998 cm³. Em números de desempenho, a Ninja se destaca. São 200 cv de potência máxima gerados a 13.000 rpm, que podem receber um acréscimo de até 10 cv com a atuação do sistema de indução de ar RAM Air. Já o torque máximo é de 11,4 kgfm obtidos nos 11.500 giros.

O mesmo acontece com a ZX-6R e com a poderosa ZX-14R. Características ciclísticas e mecânicas também foram mantidas, o que significa nenhuma mudança nos motores tetracilíndricos de 636 cm³ e 1.441 cm³, respectivamente.

Como tudo começou
Falar da primeira Ninja significa voltar a 1984. É lançada no Japão a GPZ900, modelo capaz de gerar 113 cv de potência. No entanto, a história conta que o diretor de Marketing da Kawasaki nos Estados Unidos resolveu escrever o nome “Ninja” na carenagem, quando a moto aportou por lá. A ideia era surfar no sucesso que a minissérie de TV “Shogun”, estrelada por Richard Chamberlain, fez no início da década de 1980. Pronto, nascia ali a linhagem de superesportivas.

Embora o sucesso do modelo entre os motociclistas da época já estivesse consumado, em 1986 uma GPZ900 preta e vermelha foi o veículo oficial do piloto de caças Maverick no blockbuster “Top Gun – Ases Indomáveis”. Vivido por Tom Cruise, o personagem e a moto aparecem em cenas do filme embaladas pelo hit Take My Breath Away da banda Berlin. Mas, essa não é a única Ninja a merecer um lugar de honra na linhagem, conforme mostramos a seguir. Confira algumas outras Ninjas famosas.

- Ninja sete-galo
A Kawasaki também entrou na onda das motos de 750cc no final da década de 1980. O modelo, cujo motor conservava a arquitetura de quatro cilindros em linha, mas com 749 cm³, trazia pela primeira vez na história da Casa de Akashi freios com pinças de quatro pistões.

Seu design, todavia, era controverso. Os dois tubos que a moto trazia acima do tanque, responsáveis por alimentar a caixa de ar, causavam certa estranheza em uma primeira olhada, mesmo para a época.

- O motor 636
Entre os anos de 2002 e 2006, a superesportiva ZX-6R contou com um propulsor de 636 cm³. Assim, ela passou a ocupar um degrau acima de outras superbikes médias, como a Yamaha R6 e a Honda CBR 600RR em termos de capacidade cúbica. Há dois anos, a irmã do meio da família foi reformulada e, além de modificações estéticas, que a deixaram parecida com a versão de um litro, a moto voltou a ser equipada com o propulsor de 636 cm³.

Como não poderia deixar de ser, além dos 137 cv de potência máxima, a ZX-6R passou a oferecer também diversos itens de eletrônica embarcada. Controle de tração com três níveis de ajuste e outros três modos de pilotagem complementam os freios ABS, oferecidos como opcionais.

- A poderosa ZX-14R
Em 2006, a Kawasaki substituiu um foguete por outro maior. Vinha ao mundo a ZX-14, que tirava a ZX-12R de cena com um propulsor ainda mais potente. No ano de 2011, o maior modelo da família Ninja foi reformulado e se consolidou entre as sport-tourings. Além do visual mais agressivo, a moto recebeu a letra “R” no nome e, hoje, sai de fábrica com um motor tetracilíndrico capaz de gerar até 210 cv de potência. O que aumentou ainda mais sua rivalidade com outra japonesa de números superlativos: a Suzuki GSX 1300R Hayabusa.

- Ninja 300: a pequena superbike
A Ninja 250R trouxe para marca um novo perfil de piloto: os ávidos por motocicletas esportivas, mas sem experiência ou poder aquisitivo para investir em um modelo maior. No entanto, a Kawasaki queria mais. Em 2012, a moto foi reestilizada e ganhou linhas semelhantes às da ZX-10R. Equipamentos dignos de superbike, como embreagem deslizante, foram adicionados à receita, cujo ponto alto foi o novo motor bicilíndrico paralelo de 296 cm³. Freios ABS opcionais completam o pacote da Ninja 300, que conquista motociclistas do Brasil e do mundo desde seu lançamento.

[Por:Moto.Com.br]

Ninja H2 2015

A Kawasaki preparou um lançamento especial para o Salão de Colônia 2014, na Alemanha, também conhecido como Intermot e que começa no dia 30 de setembro: um novo modelo chamado Ninja H2.

O projeto, desenvolvido em conjunto com setores de alta tecnologia, tal qual o aeroespacial, obviamente relembra a Kawasaki H2 Mach IV (abaixo), da década de 1970, e traz o slogan “Feita Além da Imaginação” (“Built Beyond Belief”).

Poucas informações a respeito da novidade foram divulgadas pela fabricante, além de dois vídeo-teasers que não revelam muita coisa. Porém, de acordo com a empresa japonesa, o modelo se inspira na já citada H2 Mach IV de 750 cc, na H1, com motor três cilindros e 500 cc, e na Z1 900 S4 (Super Four).

[Por:Uol Motos]

« Previous Entries  Next Page »