Kawasaki

A Ninja H2 pode não ser a única novidade da Kawasaki no Intermot, salão que acontece em outubro na cidade alemã de Colônia. Alguns sites especializados na Europa flagraram uma bigtrail em testes que acreditam ser a próxima geração da Versys 1000. O modelo que aparece na foto tem as suspensões de curso mais longo características das crossovers da Kawasaki, mas um conjunto óptico independente e poligonal, diferente dos dois faróis arredondados um em cima do outro, que ela usa atualmente. A carenagem também mudou e parece um pouco mais robusta. Read the rest of this entry »

Ninja H2 Special

A Kawasaki continua provocando os fãs de motos esportivas com imagens e vídeos da nova Ninja H2 Special supercharged, que será revelada na Alemanha no fim deste mês, durante o Salão de Colônia.

A fabricante japonesa afirma que esse lançamento vai gerar uma mudança no jogo no mercado das duas rodas. O motor, que pode ser visto na foto abaixo, é um quatro cilindros em linha com compressor mecânico (supercharged). Os números de desempenho e especificações técnicas, porém, ainda não foram revelados pela Kawasaki.

Pelos curtos vídeos divulgados pela marca da nova Ninja, já é possível ter uma ideia do que esperar sobre o visual da nova H2.

[Por:Carplace]

 

 

Kawasaki Ninja

 

A Kawasaki Ninja comemora 30 anos de vida em 2014. A idade pode parecer surpresa para muitos, uma vez que as superesportivas da Casa de Akashi continuam joviais em essência e recebam atualizações estéticas periódicas para que isso se reflita em seu visual. Para comemorar a data, as superesportivas ZX-10R e ZX-6R 636 chegam ao Brasil em edição especial, pintadas com o tradicional tom de verde limão, mas misturado com nuances de branco. Já a sport-touring ZX-14R vai celebrar o aniversário de três décadas com uma roupagem verde e preta.

As motos com a nova roupagem desembarcam nas concessionárias em versões standard e com freios ABS. Os preços sugeridos para o modelo de 1000cc são de R$ 63.990 e R$ 67.990, respectivamente. O modelo médio, por sua vez, parte de R$ 51.990 e sai por R$ 54.990 com o sistema anti-travamento. Já a ZX-14R em roupagem comemorativa estará disponível por R$ 56.990 e R$ 60.990 (ABS).

No mais, a ZX-10R mantém as configurações mecânicas já usadas no modelo anterior. O que não a faz menos digna de respeito. Afinal, estamos falando de um motor de quatro cilindros em linha de 998 cm³. Em números de desempenho, a Ninja se destaca. São 200 cv de potência máxima gerados a 13.000 rpm, que podem receber um acréscimo de até 10 cv com a atuação do sistema de indução de ar RAM Air. Já o torque máximo é de 11,4 kgfm obtidos nos 11.500 giros.

O mesmo acontece com a ZX-6R e com a poderosa ZX-14R. Características ciclísticas e mecânicas também foram mantidas, o que significa nenhuma mudança nos motores tetracilíndricos de 636 cm³ e 1.441 cm³, respectivamente.

Como tudo começou
Falar da primeira Ninja significa voltar a 1984. É lançada no Japão a GPZ900, modelo capaz de gerar 113 cv de potência. No entanto, a história conta que o diretor de Marketing da Kawasaki nos Estados Unidos resolveu escrever o nome “Ninja” na carenagem, quando a moto aportou por lá. A ideia era surfar no sucesso que a minissérie de TV “Shogun”, estrelada por Richard Chamberlain, fez no início da década de 1980. Pronto, nascia ali a linhagem de superesportivas.

Embora o sucesso do modelo entre os motociclistas da época já estivesse consumado, em 1986 uma GPZ900 preta e vermelha foi o veículo oficial do piloto de caças Maverick no blockbuster “Top Gun – Ases Indomáveis”. Vivido por Tom Cruise, o personagem e a moto aparecem em cenas do filme embaladas pelo hit Take My Breath Away da banda Berlin. Mas, essa não é a única Ninja a merecer um lugar de honra na linhagem, conforme mostramos a seguir. Confira algumas outras Ninjas famosas.

- Ninja sete-galo
A Kawasaki também entrou na onda das motos de 750cc no final da década de 1980. O modelo, cujo motor conservava a arquitetura de quatro cilindros em linha, mas com 749 cm³, trazia pela primeira vez na história da Casa de Akashi freios com pinças de quatro pistões.

Seu design, todavia, era controverso. Os dois tubos que a moto trazia acima do tanque, responsáveis por alimentar a caixa de ar, causavam certa estranheza em uma primeira olhada, mesmo para a época.

- O motor 636
Entre os anos de 2002 e 2006, a superesportiva ZX-6R contou com um propulsor de 636 cm³. Assim, ela passou a ocupar um degrau acima de outras superbikes médias, como a Yamaha R6 e a Honda CBR 600RR em termos de capacidade cúbica. Há dois anos, a irmã do meio da família foi reformulada e, além de modificações estéticas, que a deixaram parecida com a versão de um litro, a moto voltou a ser equipada com o propulsor de 636 cm³.

Como não poderia deixar de ser, além dos 137 cv de potência máxima, a ZX-6R passou a oferecer também diversos itens de eletrônica embarcada. Controle de tração com três níveis de ajuste e outros três modos de pilotagem complementam os freios ABS, oferecidos como opcionais.

- A poderosa ZX-14R
Em 2006, a Kawasaki substituiu um foguete por outro maior. Vinha ao mundo a ZX-14, que tirava a ZX-12R de cena com um propulsor ainda mais potente. No ano de 2011, o maior modelo da família Ninja foi reformulado e se consolidou entre as sport-tourings. Além do visual mais agressivo, a moto recebeu a letra “R” no nome e, hoje, sai de fábrica com um motor tetracilíndrico capaz de gerar até 210 cv de potência. O que aumentou ainda mais sua rivalidade com outra japonesa de números superlativos: a Suzuki GSX 1300R Hayabusa.

- Ninja 300: a pequena superbike
A Ninja 250R trouxe para marca um novo perfil de piloto: os ávidos por motocicletas esportivas, mas sem experiência ou poder aquisitivo para investir em um modelo maior. No entanto, a Kawasaki queria mais. Em 2012, a moto foi reestilizada e ganhou linhas semelhantes às da ZX-10R. Equipamentos dignos de superbike, como embreagem deslizante, foram adicionados à receita, cujo ponto alto foi o novo motor bicilíndrico paralelo de 296 cm³. Freios ABS opcionais completam o pacote da Ninja 300, que conquista motociclistas do Brasil e do mundo desde seu lançamento.

[Por:Moto.Com.br]

Ninja H2 2015

A Kawasaki preparou um lançamento especial para o Salão de Colônia 2014, na Alemanha, também conhecido como Intermot e que começa no dia 30 de setembro: um novo modelo chamado Ninja H2.

O projeto, desenvolvido em conjunto com setores de alta tecnologia, tal qual o aeroespacial, obviamente relembra a Kawasaki H2 Mach IV (abaixo), da década de 1970, e traz o slogan “Feita Além da Imaginação” (“Built Beyond Belief”).

Poucas informações a respeito da novidade foram divulgadas pela fabricante, além de dois vídeo-teasers que não revelam muita coisa. Porém, de acordo com a empresa japonesa, o modelo se inspira na já citada H2 Mach IV de 750 cc, na H1, com motor três cilindros e 500 cc, e na Z1 900 S4 (Super Four).

[Por:Uol Motos]

Kawasaki

A fabricante japonesa Kawasaki anuncia nova tabela de preços para os modelos de motocicletas das linhas Sport, Naked, Cruiser e Touring, Adventure e Off Road, que são oferecidas no mercado brasileiro.

Os valores presentes na lista são representativos para a rede de concessionárias da marca japonesa em todo o território nacional e não incluem os custos de frete.

TABELA DE PREÇOS
MODELOS ANO MOD PREÇO PÚBLICO SUGERIDO
Concours 14 2013 76.990,00
ER-6n 2013 23.990,00
ER-6n ABS 2014 29.390,00
KLX450R 2014 25.990,00
KX100 2014 21.990,00
KX250F 2014 32.990,00
KX450F 2014 35.990,00
Ninja 1000 TR ABS 2015 56.990,00
Ninja 300 2014 17.990,00
Ninja 300 ABS 2014 20.990,00
Ninja 650R 2014 28.390,00
Ninja 650R ABS 2014 30.990,00
Ninja ZX-10R 2014 56.990,00
Ninja ZX-10R ABS 2014 61.990,00
Ninja ZX-10R SE 2015 63.990,00
Ninja ZX-10R SE ABS 2015 67.990,00
Ninja ZX-14R 2014 56.990,00
Ninja ZX-14R ABS 2014 60.990,00
Ninja ZX-6R 636 2014 44.990,00
Ninja ZX-6R 636 ABS 2014 47.990,00
Ninja ZX-6R 636 ABS SE 2015 54.990,00
Ninja ZX-6R 636 SE 2015 51.990,00
Versys 2013 29.990,00
Versys 1000 ABS 2015 49.990,00
Versys 1000 GRAND TOURER ABS 2015 56.990,00
Versys ABS 2013 32.990,00
Versys Tourer ABS 2013 35.990,00
Vulcan 900 Classic 2013 30.990,00
Vulcan 900 Classic LT 2013 33.990,00
Vulcan 900 Classic Special Edition 2013 31.990,00
Vulcan 900 Custom 2013 32.990,00
Z1000 2015 48.990,00
Z1000 ABS 2015 51.990,00
Z1000 ABS SE 2015 52.990,00
Z1000 SE 2015 49.990,00
Z800 2014 36.390,00
Z800 ABS 2014 39.390,00

[Por:Moto.Com.br]

Kawasaki Z250SL

A Kawasaki revela nesta semana a inédita Z250SL, aposta da marca para o segmento de motos urbanas e por enquanto oferecida apenas na Indonésia. Conforme explica a fabricante, a novidade é considerada o modelo de menor cilindrada da linha Z e foi totalmente baseado na Ninja 250 com motor monocilíndrico.

Kawasaki Z250SL

O motor de 249 cc conta com injeção eletrônica e refrigeração líquida, sendo capaz de render 27 cavalos de potência e 2,24 kgfm de torque. Como opcional, a moto oferece freios ABS e garante mais segurança em frenagens bruscas. Com o lançamento, a linha Z da Kawasaki passa a ser composta pelos modelos Z250SL, Z250, Z300, Z800 e Z1000.

[Por:UolMotos]

Kawasaki Ninja 1000 Tourer e Kawasaki Z1000

A fabricante japonesa Kawasaki apresentou as novas Z1000 e Ninja 1000 Tourer, os primeiros modelos da linha 2015 no Brasil, em evento em Sumaré (SP). A renovada Z1000 chega às concessionárias da marca no país nas cores Golden Blazed Green e Candy Burnt Orange, nas versões standard ou ABS, com preço sugerido de R$ 48.990 (Z1000), R$ 49.990 (Z1000 SE), R$ 51.990 (Z1000 ABS) e R$ 52.990 (Z1000 ABS SE) e a nova Ninja 1000 Tourer ABS é oferecida na cor Candy Lime Green com o preço sugerido de R$ 56.990.

Z1000

A agressiva naked da Kawasaki tem a missão de lutar pela supremacia na classe de supernakeds, intransigente, franca e acima de tudo, distinta. Destilando o conceito Z, para chegar ainda mais longe, este projeto de design traz a essência do conceito Sugomi, usada pela primeira vez no modelo Z800 e suas versões — concebido para ser experimentado pelo piloto em toda sua essência, uma experiência de condução visual, tanto quanto em nível de desempenho do motor e respostas do chassi, refinando a condução e esportividade do modelo.

Proporcionando alto nível de controle, as pinças de freio monobloco tornam ainda mais radicais as frenagens e entradas de curva, com total controle na ponta dos dedos. Com montagem radial, e cilindro mestre exclusivo, chama a atenção tanto pela performance quanto pelo visual, combinado com os discos em formato pétala, oferecendo boas respostas nas frenagens.

A nova suspensão dianteira de pistões superdimensionados e funções separadas. Ajustável na compressão e pré-carga. Os faróis com lâmpada de LED compõem a dianteira do modelo, proporcionando visão mais clara e de maior alcance. Além do menor consumo de energia, os LED’s tem maior vida útil. São quatro lâmpadas para o farol alto, sendo que apenas duas destas ficam acesas durante o uso do farol baixo.

Ainda mais estimulante com as mudanças na ECU, comando e conectores ovais entre os tubos de escape, além de uma infinidade de aprimoramentos, tais como cilindros conectados para menor perda de bombeamento. Segundo o fabricante, a nova Z1000 tem melhora em baixa, mas sem comprometer as características de alta. Inspirada no modelo Z1, a nova Z1000 exibe um sistema de escapamento com quatro saídas.

Ninja 1000 Tourer

Com perfil agressivo, a sport touring da Kawasaki segue o design característico da família Ninja, com uma combinação entre potência, resposta e precisão na pilotagem, aparência e tecnologia.

A Ninja 1000 Tourer traz avançado sistema de controle de tração KTRC (Kawasaki Traction Control), que apresenta três modos diferentes, oferecendo desempenho e colaborando para um sensível aumento na confiança do piloto nas diferentes condições de uso. Os dois modos de potência selecionáveis servem para conciliar o desempenho do motor pelo piloto, que pode optar pela entrega bruta de potencia ou limitar a mesma para aumentar o nível de segurança.

No grande monobloco de montagem radial, as pinças de freio dianteiras oferecem poder de frenagem sem igual. Com a 6ª marcha alongada, as rotações do motor diminuem mantendo a velocidade da motocicleta, diminuindo o consumo de combustível e aumentando a sensação de conforto. O subchassi foi redesenhado pensando em uma melhor acomodação do piloto e passageiro, além dos acessórios para transporte de bagagem.

A Ninja 1000 Tourer conta com o potente motor tetracilíndrico de 1043 cm³, DOHC de 16 válvulas, com a admissão redesenhada para privilegiar o torque também em baixas e medias rotações. O sistema de injeção de combustível do modelo utiliza quatro corpos de aceleração ovais, Keihin, com 38 milímetros cada, fazendo fluir a mistura ar/combustível em cada câmara de combustão.

No sistema de controle de tração KTRC (Kawasaki Traction Control), a combinação dos três modos ajustáveis que, somadas ao sistema de controle de potência, PMS (Power Mode Selection), oferecem variadas configurações a escolha do piloto, desde a entrega total de desempenho da motocicleta às limitações que garantem a segurança do condutor em situações de piso escorregadio.

Assim como na Ninja ZX-6R 636, os dois primeiros modos do KTRC são destinados à máxima aceleração, já o terceiro modo é ideal para terrenos de pouca tração (piso molhado ou de baixa aderência), similar ao utilizado na Concours 14. Exibidos no painel de instrumentos, facilita sua escolha sem tirar a atenção da via, o modo off (desligado) também pode ser selecionado. Também são mostradas no display LCD a indicação de modo pilotagem econômica (ECO) e as informações sobre os freios ABS.

Utilizando conceitos muito semelhantes de fabricação, o avançado chassi em alumínio possui características que descendem da superbike da marca, a ZX-10R. Alternando entre áreas mais espessas, mais exigidas quanto à torção, e outras mais finas, em zonas de menor torção, resultam em leveza do conjunto, rigidez excepcional e baixíssima vibração. O novo subchassi também vem preparado para receber malas laterais rígidas com capacidade para 29 litros cada.

Rodas de seis hastes em liga especial, freios e o conjunto de suspensões conferem estilo e leveza ao trafegar. Na dianteira, garfo invertido (USD) com canelas de 41 mm, e na traseira, totalmente ajustável na pré-carga e retorno, a suspensão traseira, que apresenta o novo ajuste remoto. O monoamortecedor está posicionado quase horizontalmente, acima da balança traseira, privilegiando a centralização das massas e aumentando a refrigeração do sistema.

Equipada com discos de freio em formato margarida com 300 milímetros cada, pressionados por pinças de montagem radial, fabricadas a partir de um único bloco de alumínio, conferindo à Ninja 1000 grande poder de frenagem. O sistema ABS de última geração assegura maior controle, com sensibilidade na ponta dos dedos.

As formas e linhas da carenagem da Ninja 1000 foram projetadas com clara alusão aos modelos mais recentes: Ninja ZX-6R 636 e ZX-10R. O para-brisa oferece três posições de altura diferentes, permitindo o acerto ideal para cada uso e tipo físico de piloto.

[Por:Moto.com.br]

« Previous Entries  Next Page »