Suzuki Bandit 650 e 1250

Apresentadas ao público durante o Salão Duas Rodas 2007, as novas “bandidas” da Suzuki chegam neste mês às concessionárias autorizadas da montadora, repletas de inovações. A notícia foi dada ontem pelos representantes da marca, em São Paulo.

Disponíveis nas opções naked e semi-carenada, as Bandit 650 e 1250 serão vendidas já como versão 2009 e com o atrativo especial do seguro total grátis por um ano. “Nossa meta é vender 240 unidades por mês”, declarou João Toledo, detentor dos direitos da Suzuki no Brasil.

Suzuki Bandit 650 e 1250

Falemos, primeiramente, sobre a máquina mais potente: a Bandit 1250, que passa a dispor de um coração de 1255 cm³ — ante os 1157 do modelo anterior — com maior torque de baixa para alta velocidade.

O compacto propulsor conta agora com refrigeração líquida, injeção eletrônica, DOHC, balanceador secundário para minimizar os ruídos e as vibrações. Além disso, foi projetado especificamente para a Bandit.

Os pistões, em liga de alumínio, produzem uma relação de compressão de 10,5:1 dentro de um cilindro, também em liga de alumínio, tratado com o sistema SCEM (Suzuki Composite Electrochemical Material). Esse tratamento permite um menor atrito entre pistão e cilindro, oferecendo mais potência e reduzindo as perdas mecânicas.

Outra novidade está na transmissão de seis velocidades, uma a mais em relação à Bandit antecessora. Com essa mudança, o motociclista obtém grande aceleração ao mesmo tempo em que reduz o regime de giros na pista.

Suzuki Bandit 650 e 1250

O novo sistema de injeção digital SDTV (Suzuki Dual Throttle Valve) garante uma precisa resposta ao acelerador, suave entrega de potência, durabilidade e redução da emissão de gases poluentes.

Cada corpo de injeção possui duas válvulas de borboleta, a primeira comandada pelo punho do acelerador e a segunda pelo sistema de gerenciamento do motor. A segunda válvula abre e fecha para manter a velocidade ideal de entrada de ar, oferecendo uma resposta mais linear ao acelerador e melhorando a eficiência de combustão.

O chassi da Bandit 1250 possui rígidos tubos de grande diâmetro. A suspensão dianteira telescópica de 43mm conta com amortecimento hidráulico projetado para oferecer resposta suave em diferentes tipos de piso. Assim como no amortecedor traseiro, a pré-carga da mola do dianteiro também pode ser regulada.

Para parar o modelo, há um conjunto de discos de freio dianteiros flutuantes de 310mm de diâmetro, com pinças de quatro pistões opostos. Na traseira, o disco tem 240mm de diâmetro e é mordido por pinça deslizante de pistão simples.

Caçula nervosa

A versão de média cilindrada da Bandit teve seu motor totalmente redesenhado. O novo e compacto propulsor de 656 cm³, quatro tempos, quatro cilindros, DOHC, com refrigeração líquida, garantiu 7cv a mais de potência à motocicleta, que atinge agora 85hp a 10.500 rpm.

Os eixos de transmissão estão dispostos verticalmente para diminuir o comprimento do motor. O alternador, mais potente, compacto e leve, está localizado no extremo esquerdo do virabrequim, reduzindo as perdas mecânicas.

A transmissão é de seis velocidades e atua através de um novo sistema hidráulico, que exige menor pressão sobre o manete para uma resposta eficiente. O sistema de injeção de combustível é idêntico ao da irmã maior, bem como o freio dianteiro, composto por duplo disco flutuante de 310mm de diâmetro e mordido por pinças de quatro pistões opostos. O disco traseiro mede 240mm de diâmetro e é mordido por pinça deslizante de pistão simples.

O chassi de duplo berço em aço está mais rígido para acompanhar a nova entrega de potência da Bandit 650. A suspensão dianteira, telescópica e de amortecimento hidráulico, possui pré-carga da mola ajustável para adaptar-se às diferentes cargas e preferências do piloto. A traseira é monoamortecida e trabalha por meio de um sistema link progressivo, projetado para responder suavemente, mas de maneira eficaz, às irregularidades do terreno.

 

Suzuki Bandit 650 e 1250

 

 Ao contrário da versão de 1250cc, o motociclista consegue alterar a posição do guidão (10mm) e a altura do assento (20mm) nesta “bandida”.

O painel de ambas as Bandits possuem tacômetro analógico e uma tela de LCD com velocímetro, marcador de combustível e relógio. Há também indicadores de ponto morto, pressão do óleo, farol alto, temperatura da água e indicador de falhas do sistema de injeção eletrônica.

A Suzuki equipou os modelos com o sistema PAIR, que injeta ar fresco captado pela caixa de filtro de ar nos condutores de escape, queimando os hidrocarbonetos em excesso e reduzindo as emissões de monóxido de carbono.

Na Bandit 1250, o novo catalisador conta com um sistema de escape de grande volume, o que já coloca a moto na posição de cumpridora das novas normas “Euro 3” e “Tier 2” sobre emissões de gases poluentes, em vigor a partir de 2009.

Disponível nas cores preta, vermelha e azul escuro, a Bandit 1250cc tem preço sugerido de R$ 37.174 para a versão totalmente naked e R$ 39.033 para a “S”, semi-carenada.

Já a Bandit 650, encontrada nas tonalidades preta, azul escuro, azul e vermelha, será vendida a R$ 31.151 (naked) e R$ 32.709 (S). As motos possuem um ano de garantia, sem limite de quilometragem.

[Por:Moto.com.br]