fábrica de motos elétricas

A cidade de Sapucaia, no estado do Rio de Janeiro, foi escolhida para receber a primeira linha de montagem de bicicletas e motocicletas movidas à energia alternativa do Brasil. A fábrica da CR Zongshen E-Power (CRZ-E) deverá consumir um investimento de R$ 20 milhões, produzir 10 mil unidades/mês e criar cerca de 150 novos postos de trabalho. A apresentação oficial aconteceu em 29 de outubro, no Palácio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro, e contou com as presenças do governador Sérgio Cabral e do presidente da CR Zongshen do Brasil (Kasinski), Cláudio Rosa Junior. A marca vai fabricar sete novos produtos até 2012. Duas bicicletas elétricas, um mini scooter, um big scooter, duas motos, além da Prima Electra, que já é comercializada no País.

[Por:Moto.com.br]

Marca injetou montante de R$ 20 milhões em unidade no Rio de Janeiro

Kasinski Prima Electra

A Kasinski reuniu a imprensa na manhã desta quinta-feira (2), em São Paulo, para divulgar os resultados financeiros do primeiro semestre de 2010 — o melhor resultado na história da empresa — e, também, para apresentar algumas novidades, tanto na sua linha de produtos quanto no que se refere à capacidade produtiva e novos projetos da empresa.

Fábrica de produtos elétricos

A Kasinski anunciou a instalação da primeira fábrica de bicicletas, scooters e motocicletas elétricas do Brasil, a CR Zongshen E-Power. A unidade, que será construída na cidade de Sapucaia, no interior do Rio de Janeiro, é fruto de um investimento inicial de R$ 20 milhões e deve iniciar a produção no primeiro semestre de 2011. Com capacidade de fabricar até 10 000 unidades por mês, dessa futura linha fluminense deverão sair, até 2012, sete modelos elétricos que podemos dividir em três categorias: produtos de acesso, produtos intermediários e produtos de alta performance. Do primeiro grupo, farão parte uma bicicleta elétrica e um veículo chamado pela marca de “Mini-scooter” (que conta com visual de scooter mas possui rodas e pedais de bicicleta), enquanto o scooter Prima, que mostramos na edição nº 151 da MOTOCICLISMO, será o produto intermediário.

Além disso, deverão ser lançados três produtos elétricos de alta performance: um scooter, um big scooter e uma motocicleta elétrica. Segundo a marca, a tecnologia empregada neste três últimos modelos proporciona uma excelente autonomia e um desempenho excelente, permitindo que algumas versões atinjam uma velocidade máxima de até 120 km/h. Vamos aguardar.

A opção da CR Zongshen/Kasinski pelo Estado do Rio de Janeiro tem muito a ver com o decreto estadual 42.569/10, de julho deste ano, que reduziu o ICMS de 18% para 4% para a indústria do segmento de bicicletas e motocicletas elétricas.

Consórcio Kasinski

Além dos novos produtos, a Kasinski também anunciou a parceria com o Consórcio Luiza. Isso significa que, já a partir deste mês, os consumidores poderão adquirir cotas de consórcio (disponíveis para os 12 modelos Kasinski comercializados atualmente) tanto nas concessionárias da marca — que deverão ser 200 até o final deste ano — quanto em algum dos 600 pontos de venda do Magazine Luiza. Vale lembrar que, hoje, 30% das motos comercializadas no Brasil são adquiridas via consórcio.

A Kasinski também deu mostras de que a recente escalada no ranking de fabricantes (entre julho e agosto a marca pulou da 7ª para a 5ª posição no número de licenciamentos) não deve parar por aí. Agora financeiramente saudável, a marca também anunciou o investimento de R$ 45 milhões na construção de um novo complexo industrial em Manaus, que tem previsão de entrar em operação em 2012.

Rafael Miotto

Imagens Kasinski

[Por:Motociclismo Online]

Andamos na Kasinski Prima Electra durante o Michelin Challenge Bibendum

Kasinski Prima electra

Com o objetivo de promover e discutir modos de tornam os transportes rodoviários mais e eficientes e menos agressivos ao meio ambiente, a Michelin trouxe a 10ª edição do Chalenge Bibendum ao Rio de Janeiro, RJ. Realizado no Centro de Convenções e Exposição do Rio Centro, o evento começou em 30 de maio e seu encerramento ocorrerá em 3 de junho. Entre yy nn7as novidades demonstradas, muitas apontam para veículos elétricos de duas rodas, como motos, bicicletas e até mesmo os segways.

Acelerando a Kasinski Prima Electra

Mostrado ao público durante o Salão Duas Rodas 2009, o Kasinski Prima Electra terá sua produção iniciada no próximo mês, em Manaus, AM. O scooter é impulsionado por um motor de 2.000 watts e pode alcançar uma velocidade final de até 60 km/h. “ Queremos criar a imagem de uma empresa diferenciada e este será o primeiro scooter elétrico produzido no Brasil”, disse Claúdio Rosa Jr., presidente da Kasinski.

Além de zero emissões de poluentes ao meio ambiente, o Prima Electra é capaz de trazer muita economia ao bolso de seu usuário já que, de acordo com a fabricante, o usuário irá gastar, em média, R$ 1,10 para rodar 50 km com a moto. Além disso, o custo do IPVA do scooter elétrico é 25% menor. “A motocicleta já ajuda muito na mobilidade e, atrelada à parte elétrica, tem tudo a ver com o tema da sustentabilidade rodoviária”, acrescentou Rosa Jr.

Nossa equipe teve a oportunidade de rodar com um modelo pré-série do Prima electra no decorrer do evento da Michelin. A primeira impressão sobre a motocicleta foi positiva e o resultado final está muito próximo aos scooter que existem atualmente no mercado brasileiro. Existem três opções de potênica: low, medium e high. Os nomes são auto explicativos e no high é possível sentir que a Prima Electra está um patamar acima de outros scooter elétriicos vendidos no Brasil.

Em relação à aceleração, parece existir um delay do momento em que se aciona o punho até a resposta do motor. Assim, em certas manobras deve-se ficar atento a está resposta demoradas. As suspensões também necessitam de um aprimoramento, pois recebem de forma seca os desníveis do solo. Contudo, algo que chamou a atenção foi o acabamento da Prima, apresentado bom conjunto.

Em relação ao espaço embaixo do banco, está ocupado pelas bateria de chumbo ácida de 48 v. Desse modo, a Kasisnki instalou um baú na traseira, para poder transportar objetos. O preço sugerido pelo Prima Electra é de R$ 5.290.

Rafael Miotto

Imagens Rafael Miotto

[Por:Motociclismo Online]

Scooter elétrico terá fabricação iniciada em abril e custará R$ 5 390

Scooter elétrico Prima Electra

Apresentado ao público no último Salão Duas Rodas, realizado no ano passado, a Prima Electra começará a ser produzida em terras nacionais no próximo mês. A confirmação do início de fabricação do primeiro scooter elétrico no Brasil ocorreu durante o Fórum Internacional de Sustentabilidade, nesta sexta-feira (26), em Manaus, AM.

“A primeira fábrica de scooter elétricos do Brasil será inaugurada no próximo mês. Coloraremos o veículo de energia limpa no mesmo preço de um veículo convencional”, disse o presidente da Kasinski, Claudio Rosa Junior. A fabricante deve iniciar a produção do scooter no próximo mês, ainda na antiga fábrica da empresa. Até o final do ano, a linha deve ser transferida à nova unidade da CR Zongshen, também em Manaus.

Como disse o presidente da Kasinski, mesmo sendo elétrico o veículo não será mais caro que um scooter comum, com um preço sugerido de R$ 5.390. Apesar de ser elétrico, de acordo com Claudio Rosa Junior, o Prima Electra terá desempenho superior a outros scooter do mercado. Com 2.000 watts de potência, o Prima tem velocidade máxima de 60 km/h.

Cauê Aguiar

Imagens Divulgação

[Por:Motociclismo Online]

Lançamentos têm refrigeração líquida e geram 13,5 cv de potência

KasiCRZ150SM

Recém-adquirida pela sino-brasileira CR Zongshen, a Kasinski mostrou nesta terça-feira (6) suas novidades para o Salão Duas Rodas, que ficará aberto para o público de 7 a 12 de outubro, no pavilhão de exposições do Anhembi, em São Paulo. Entre os lançamentos, destacam-se a CRZ 150 e CRZ 150 SM, respectivamente, motos trail e motard.

KasiCRZ150 Mirage 150, Comet

As duas máquinas seguem a mesma estrutura, porém, uma tem rodas e pneus on-road enquanto a outra tem aptidões fora-de-estrada. Ambas são impulsionadas pelo mesmo propulsor monocilíndrico arrefecido a água. Com 149,3 cm³, o motor alcança 13,5 cv de potência e não tem injeção eletrônica.

A Kasinski também apresentou os modelos:mirage  150,comet 150, Prima Electra, Prima 150 e a nova Win 110. Confira a programação e saiba como adquirir os ingressos aqui.

Rafael Miotto / direto do Anhembi, SP

Imagens Renato Durães

[Por:Motociclismo Online]